Pretensão e Solidão

Solidão existe!
E diz Cazuza, é pretensão de quem fica escondido fazendo fita.
E solidão a dois é insuportável! É preferível ficar sozinho mesmo! Tenho alternativa de escolha, buscar alguém.
As vezes temos distância do companheiro de vida no casamento, namoro, ou sócio.
Distância que não se percebe às vezes. Talvez por medo de ver o lugar onde se encontra. A ilusão de não ser só!
Os sintomas são dificuldade e falta de vontade de estar junto, conversar ou ir para casa.
Desânimo, silêncio, sono demais, TV/ celular/computador mais importantes do que conviver. Distância no sofá, silêncio no carro, sem programas sociais, lazer ou românticos e falta ou sexo esporádico.
Não ter assunto. Fazer tudo sozinhos e nada juntos.
E tristeza, sem entusiasmo e energia! Vive isto?
Você pode mudar, não aceite esta vida de segunda mão, precária. Nem sempre isto é sinal de que a solução é a separação. Pode ser apenas necessidade de recontratar ou comunicação eficaz e afetiva. #sukardosh

Anúncios

“Não espere eu ir embora para perceber que me adora”

Pitty, em sua musica, Me Adora, transmite sua ideia de relacionamento num aspecto muito comum: a pessoas não valoriza ter uma pessoa ao seu lado. Que não ouve o outro… e denota falta de educação, no mínimo, ou indiferença e desprezo, no máximo …
Desperdício do amor? Traição do encontro. Deslealdade consigo mesmo e com o outro, por conseguinte.
Sustentabilidade: ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro. Usar recursos naturais de forma inteligente para manter no futuro.
Você que nem me ouve até o fim
Injustamente julga por prazer
Cuidado quando for falar de mim
E não desonre o meu nome
Será que eu já posso enlouquecer?
Ou devo apenas sorrir?
Não sei mais o que eu tenho que fazer
Pra você admitir
Que você me adora
Que me acha foda
Não espere eu ir embora pra perceber
Que você me adora
Que me acha foda
Não espere eu ir embora pra perceber
Perceba que não tem como saber
São só os seus palpites na sua mão
Sou mais do que o seu olho pode ver
Então não desonre o meu nome
Não importa se eu não sou o que você quer
Não é minha culpa a sua projeção
Aceito a apatia, se vier
Mas não desonre o meu nome.
Não desperdice o amor, dê a ele sustentabilidade.

Causa do medo da morte Você já pensou nisso?

 

Será que se deve a ser desconhecido? Uma experiência inédita ou original em minha vida?
As pessoas não ficam iguais após uma experiência, uma viagem que seja.
A experiência de morte ou pós morte é descrita como uma grande experiência modificadora.
Diz Cazuza: eu vi a cara da morte e ela estava viva!
Será que imaginam que tem dor na morte? Ou isto está presente apenas na agonia? A agonia é algo torturante que faz com que o agonizante peça por sua morte, pelo alívio.
E dizemos: enfim descansou.
Mas o que tem no depois?
O castigo talvez!
Quando pequena no Colégio havia nos banheiros uma placa com um triângulo com um imenso olho esbugalhado com a frase: Deus me vê!
Sei hoje que era para reprimir atos individuais ou coletivos naquele lugar que era frequentado por meninas.
Resultado inibição em estar junto com qualquer pessoa nos banheiros. Pode ser lugar de atos que serão castigados depois.
Então será um futuro de terror.
Num tribunal divino, após eu morrer, uma vida de expiação e dor eterna, infindável. Dor sem morte de alívio, porque já morri, não posso mais desistir e desapegar, tenho que eternamente pagar um castigo imposto por um Pai, símbolo de carrascos.
Desde quando que Pai é isto? O meu era/ é ainda dentro de mim segurança, era confiança e amor! E o meu Pai divino é ausência de dor. É força na minha dor, amparo na superação de qualquer adversidade.
Então medo do desconhecido, do futuro, da morte, é medo do tribunal daquele juiz cruel e frio que vou conhecer só se morrer e que estará esfregando as mãos de prazer porque enfim eu morri e estarei à mercê de sua crueldade.
Pronto! Fui condenada. Ao medo, ao terror,ao pânico.
Adeus felicidade, pois não sei quando é como será minha morte, e então sofra até lá, você que erra, você que comete crimes a vida inteira.
Crimes: ter prazer, segurança, direito de ser quem você realmente é e escolheu ser, quem é curioso e tem sede de conhecimento, quem é “feiticeira” a ser queimada porque tem conhecimentos e é livre para viver sua sexualidade, ama a verdade, enfim será condenado por existir.
E cadê a mãe para me proteger nesta hora da crueldade do pai? Ausente, abandonantes, cúmplice?

Julgamento

Julgamento
Você já percebeu o quanto entremetimento e julgamento afasta as pessoas?
Muitas vezes não sabemos porque as pessoas não nos aceitam. A rigidez arrogante de não ver os próprios defeitos e prepotentemente ver todos e só os defeitos do outro. Ser o “corretor gráfico” do comportamento do outro querendo que o outro seja e faça o que EU quero é o cúmulo da prepotência. Mas eu, você e nós fazemos isto é nem percebemos o que é desagradável, pouco gentil e deselegante fazer tais observações ríspidas muitas vezes.
Posso me educar? Posso mudar? Independentemente da sua, minha, nossa idade PODE SIM.
Experimente ser gentil e cuidar de sua própria vida e deixar o outro ser como é. Isto muda muito tudo.
Tenho experimentado, é bom #sukardosh

Boa ação

Como é fazer uma boa ação? O que posso fazer como boa ação? Ajudar a velhinha a atravessar a rua? Sim, mas isto é fácil. E parar para dar atenção ou apoio ou compreender uma pessoa sem julgar? E recordar. E pensar se as pessoas não estão sendo incomodadas com um telefonema muito longo, falar muito e alto, interromper o outro quando o outro não terminou o que estava falando, perguntar demais, impor sua fé nas redes sociais, postar tudo que tem vontade sem pensar que WhatsApp é também instrumento de trabalho, julgar as pessoas ao invés de compreende – lãs, enfim pensar nas pessoas, ser empático para colocar se no lugar do outro tudo isto ser uma boa pessoa e não uma pessoa ma’? Dizer não ou recusar ajuda dando autonomia é ato de generosidade. Vamos praticar boas ações REAIS?
Gratidão #sukardosh