Causa do medo da morte Você já pensou nisso?

 

Será que se deve a ser desconhecido? Uma experiência inédita ou original em minha vida?
As pessoas não ficam iguais após uma experiência, uma viagem que seja.
A experiência de morte ou pós morte é descrita como uma grande experiência modificadora.
Diz Cazuza: eu vi a cara da morte e ela estava viva!
Será que imaginam que tem dor na morte? Ou isto está presente apenas na agonia? A agonia é algo torturante que faz com que o agonizante peça por sua morte, pelo alívio.
E dizemos: enfim descansou.
Mas o que tem no depois?
O castigo talvez!
Quando pequena no Colégio havia nos banheiros uma placa com um triângulo com um imenso olho esbugalhado com a frase: Deus me vê!
Sei hoje que era para reprimir atos individuais ou coletivos naquele lugar que era frequentado por meninas.
Resultado inibição em estar junto com qualquer pessoa nos banheiros. Pode ser lugar de atos que serão castigados depois.
Então será um futuro de terror.
Num tribunal divino, após eu morrer, uma vida de expiação e dor eterna, infindável. Dor sem morte de alívio, porque já morri, não posso mais desistir e desapegar, tenho que eternamente pagar um castigo imposto por um Pai, símbolo de carrascos.
Desde quando que Pai é isto? O meu era/ é ainda dentro de mim segurança, era confiança e amor! E o meu Pai divino é ausência de dor. É força na minha dor, amparo na superação de qualquer adversidade.
Então medo do desconhecido, do futuro, da morte, é medo do tribunal daquele juiz cruel e frio que vou conhecer só se morrer e que estará esfregando as mãos de prazer porque enfim eu morri e estarei à mercê de sua crueldade.
Pronto! Fui condenada. Ao medo, ao terror,ao pânico.
Adeus felicidade, pois não sei quando é como será minha morte, e então sofra até lá, você que erra, você que comete crimes a vida inteira.
Crimes: ter prazer, segurança, direito de ser quem você realmente é e escolheu ser, quem é curioso e tem sede de conhecimento, quem é “feiticeira” a ser queimada porque tem conhecimentos e é livre para viver sua sexualidade, ama a verdade, enfim será condenado por existir.
E cadê a mãe para me proteger nesta hora da crueldade do pai? Ausente, abandonantes, cúmplice?

Anúncios

Julgamento

Julgamento
Você já percebeu o quanto entremetimento e julgamento afasta as pessoas?
Muitas vezes não sabemos porque as pessoas não nos aceitam. A rigidez arrogante de não ver os próprios defeitos e prepotentemente ver todos e só os defeitos do outro. Ser o “corretor gráfico” do comportamento do outro querendo que o outro seja e faça o que EU quero é o cúmulo da prepotência. Mas eu, você e nós fazemos isto é nem percebemos o que é desagradável, pouco gentil e deselegante fazer tais observações ríspidas muitas vezes.
Posso me educar? Posso mudar? Independentemente da sua, minha, nossa idade PODE SIM.
Experimente ser gentil e cuidar de sua própria vida e deixar o outro ser como é. Isto muda muito tudo.
Tenho experimentado, é bom #sukardosh

Boa ação

Como é fazer uma boa ação? O que posso fazer como boa ação? Ajudar a velhinha a atravessar a rua? Sim, mas isto é fácil. E parar para dar atenção ou apoio ou compreender uma pessoa sem julgar? E recordar. E pensar se as pessoas não estão sendo incomodadas com um telefonema muito longo, falar muito e alto, interromper o outro quando o outro não terminou o que estava falando, perguntar demais, impor sua fé nas redes sociais, postar tudo que tem vontade sem pensar que WhatsApp é também instrumento de trabalho, julgar as pessoas ao invés de compreende – lãs, enfim pensar nas pessoas, ser empático para colocar se no lugar do outro tudo isto ser uma boa pessoa e não uma pessoa ma’? Dizer não ou recusar ajuda dando autonomia é ato de generosidade. Vamos praticar boas ações REAIS?
Gratidão #sukardosh

Comunicação, negócios e trabalho

 

Aqui é Su Kardosh, eu sou comunicadora e falo muito sobre comunicação. Tenho paixão pelas palavras! As palavras escritas, as palavras faladas, as palavras sentidas, as compreendidas. E cuido pra que não haja mal entendidas, as palavras tem que ser bem-ditas, e não mal-ditas.

Eu esses dias comecei a pensar na palavra negócio. Hoje em dia todo mundo está falando em negócio, porque os negócios estão muito difíceis no país. Daí negócio pra mim é “negar o ócio”, por isso que se trabalha no negócio. Daí eu falei “porque negar o ócio” é a palavra negócio? Não poderia ter sido uma coisa melhor, tipo: “ganhar dinheiro, ter sucesso…”. Por que negóciocomeça com uma negação, “negar o ócio”?

Também fiquei pensando em labor, labor ao trabalho. A co-labor-ação é uma ação de labor conjunto. Acho tão bom a gente laborar, ou seja, trabalhar, mas as pessoas não acham que o trabalho é uma coisa boa, elas sentem como peso, sentem como obrigação, isso vai me dar muito trabalho, isso vai ser muito difícil, elas querem dizer. Mas depois quando elas ficam sem trabalho, ficam mal, porque a gente gosta de trabalhar na verdade, nós seres humanos somos feitos de ação.

Agora, entre trabalho e emprego tem uma grande diferença, porque eu posso trabalhar sem ser empregada de ninguém. E as pessoas ficam procurando emprego, eu procuro trabalho! Eu gosto do trabalho! Não sei tão bem assim se eu gosto de emprego, não é essa questão do momento, é o quanto eu gosto do meu trabalho, o quanto que eu tenho prazer em fazer o que eu faço, como é bom trabalhar com paixão. Quarenta e dois anos que eu trabalho com paixão na mesma coisa, é claro que com muitas diferenças do começo, do meio e agora, mas é sempre na mesma coisa, eu trabalho com a alma humana, meu foco de interesse é o ser humano: sua comunicação, seus relacionamentos… E é por isso que eu estou aqui, pra gente não entrar num negócio, e sim buscar prazer no trabalho!

#sukardosh

Felicidades e Saúde sempre #sukardosh

Eu escuto dizer: ah! É um dia igual ao outro! Ah! Agora tudo vai mudar… é um novo ano! Agora vou recomeçar! Oba!!! Festa!!!
Oba meus desejos serão realizados Ah! Joguei na Mega-Sena da virada! Ah ! Vou tomar todas e apagar tudo de ruim que passou! Vou fazer barquinho para Iemanjá! Ah! Vou passar em casa e sozinha como eu por decisão ou falta de convites!
Eu penso que esta festa, comemoração é uma energia de toda a população mundial, a humanidade está presente pelo menos na mente de todos, mesmo no sofrimento da falta de paz, estamos juntos em 24horas em diversos fusos horários a meia noite! Esta energia traz a presença de uma elevação maior no planeta.
Que assim seja!
Desejos unidos, esperanças e vontades de todos em suas mentes e corações!
Portanto, humanidade SAÚDE!!!!

Chefes? Líderes!!!

Uma grande amiga tem uma grande mãe, que é uma grande amiga!
A mãe ficou doente com 69 anos! Muitas idas e vindas a inúmeros médicos e psicoterapia. Até que foi necessário internamento com três visitas semanais. A grande amiga trabalha numa grande empresa.
Acredite, com o serviço em dia apesar de inúmeras causências pequenas, médias e alguma grande. Mesmo assim a CHEFE hoje passou CARTA DE ADVERTÊNCIA SOBRE MAU EXEMPLO E PREJUÍZOS AO ANDAMENTO DO SERVIÇO.
Não entendi: cuidar de mãe é manter o serviço em dia é mau exemplo?!?!?!?
E ainda fala em nome de uma ótima e tradicional empresa de Curitiba, mas é simplesmente CHEFE! NUM PAÍS ONDE NÃO HÁ LÍDERES?
LAMENTÁVEL

Do livro de Su Kardosh Ideias que Cantam em Mim

“Mas ainda revivemos os 30 dinheiros bíblicos, mas agora com as novas moedas, as inflações, o mal transforma os 30 em 300, 3000, 30000, enfim… é infinita a dor que sofremos na alma das traições e abusos, da falta de respeito. Esquecem se todos que, nós fortes, temos o mesmo tamanho e intensidade na sensibilidade.
Grito eu, grito de dor, grito quando não me sinto respeitada… Sou punida por isto também… Mas grito… é o que me resta… aprendi com o exemplo dos mártires e exilados do AI5…não ficarei calada… vou ser ouvida… Um há de me ouvir ao menos… Confio na humanidade ainda… o Criador tem filhos à sua semelhança. Eu conheço muitos assim.
Diz Clarice Linspector “porque há o direito ao grito. Então eu grito. Grito puro e sem pedir esmola.”
E eu grito! E será que devo ser punidas quando grito? Gritamos batendo panelas na rua, às caras pintadas e a torcida do Corinthians e do Flamengo? É válido gritar?
As crianças gritam de alegria e prazer… Vá até um parque e observe…
E eu grito de prazer… e até quando experimentei os benefícios da regressão consciente primeiro em mim e a minha criança resgatada por psicoterapeutas, amigos até hoje, aos quais sou grata e reconheço seu auxilio em minha busca de ser feliz.”