Objetivos bem definidos é a melhor forma de automotivação

O cenário moderno do mundo dos negócios exige pessoas dinâmicas em todos os setores da empresa. Elas precisam ser capazes de tomar decisões com rapidez, precisão e segurança. Para assumir estas características, os executivos precisam estar constantemente motivados. O papel de motivar a equipe recai sobre a figura do líder. Entretanto, o líder desenvolve vários outros papeis na empresa e precisa delegar funções para ganhar tempo e agregar outras atividades à rotina de trabalho. Neste momento decisivo para o crescimento da empresa, muitos líderes pecam, e o resultado é uma equipe desmotivada, improdutiva e com aumento de demissões.

O antigo modelo de liderança, baseado no autoritarismo hierárquico, não funciona mais nos dias de hoje. Por isso, no trabalho de construir uma equipe coesa e comprometida, o líder se aproxima dos companheiros para orientar as ações de trabalho e auxiliar na solução de problemas. Com a equipe motivada, o líder delega funções para poder cuidar de outros assuntos e, ao mesmo tempo, dar liberdade para que cada membro tome as decisões referentes ao cargo que ocupa. Mas, à distância, ele acompanha o desenvolvimento do trabalho e precisa continuar dando apoio à equipe para que ela desenvolva automotivação nesta fase de mudança. O que não pode acontecer é o líder estar distante e adotar atitudes incoerentes com as ações realizadas enquanto participa do dia a dia da equipe, ou quando participa de reuniões periódicas.

De acordo com a psicoterapeuta Suely Kardosh, especializada no atendimento a empresas, “diante de determinadas circunstâncias ou sob determinados estímulos, o indivíduo fica propenso a tomar atitudes, agindo ou deixando de agir. A ação é causada por um motivo”, afirma. Se o profissional está desmotivado pela incoerência do líder, é hora de descobrir a automotivação por meio da pergunta: quais são os meus motivos para trabalhar? Para se automotivar é preciso pensar nos objetivos e metas estabelecidas para o próprio futuro, dentro ou fora da empresa. É indispensável reconhecer os próprios desejos e necessidades e descobrir o que realmente é motivador. Pode ser realização profissional, o aplauso, o elogio da liderança ou o aumento de salário. A partir da identificação dos seus desejos é hora criar um projeto de ação e analisar a viabilidade de concretizá-lo naquela empresa.

Para encontrar os verdadeiros motivos pelos quais uma pessoa trabalha, é preciso ter em mente um objetivo determinado. “Ter um objetivo definido é a melhor forma de se automotivar, pois é o desejo de realização dos propósitos que impulsiona as pessoas para ação”, explica Suely Kardosh. “A concretização do objetivo é automotivadora por si só. É importante observar e valorizar cada passo concretizado, mas sempre olhando para o futuro, traçando novos objetivos e desafios, assim o indivíduo acaba criando consigo a cultura da automotivação constante”, afirma.

Mesmo no processo de automotivação, o líder exerce uma função essencial. Ele precisa identificar os objetivos de cada membro da equipe, analisar se eles se adéquam ao perfil da empresa e oferecer meios para as realizações, caso contrário, terá colaboradores insatisfeitos e pouco produtivos. Já por parte do colaborador, orienta Suely Kardosh, “se a empresa não proporciona meios para a concretização dos objetivos, nem expectativas de satisfação pessoal e profissional, é hora de ficar atento às oportunidades do mercado.”.

By Daya Lima

 

Anúncios