Não são nobres sentimentos

Sentimentos são nobres. O que há de nobre é humano em mim, em nós. Compaixão, gratidão, solidariedade, alegria, amor, sempre bom e regenerador.
E culpa e vergonha? Crime chama – los também de sentimentos. Não pode ser bom, inventado pelos humanos para conter a barbárie há milênios. Resolveu? Somos menos bárbaros, mais honestos, menos desonrosos, menos doentes? Ah! Humanidade longe ainda de ser humana. Devemos ao Criador sermos ainda, formarmos ainda uma UNIDADE HUMANA, humanidade.
Cultivar os nobres sentimentos e dissolver os engodos bloqueadores disfarçados de coisas boas: a vergonha e a culpa. Servem apenas para adoecer e unidas fazem diminuir a libido e causam enxaqueca. Exorcizei em mim! Sai deste ser que ME pertence! Sou feliz e leve sem isso, graças a Deus, o criador dos nobres sentimentos, que moram no meu peito, e produzem res…peito!

Curso só para Homens

“O homem sofre tanto quanto a mulher, mas as pessoas se esquecem disso e consideram apenas a existência da pressão sobre a mulher”. Sukardosh
Ser homem hoje é desafiador. CURSO SÓ PARA HOMENS
A pedido de um homem que se sentiu injustiçado e em desvantagem por não ter os benefícios que o Curso De Mulheres propicia a elas.
Na verdade, mais do que a pressão do mundo externo, os homens vivem hoje em um conflito interno.
O sucesso é cobrado dentro e fora do lar.

CURSO SÓ PARA HOMENS
Tenho 65 anos de mulher e 42 em atividade profissional e senti a solidão e fragilidade MASCULINA no convívio com os homens.
dez anos que existe o curso, dois ao ano.
Muitos fazem mais de uma vez, pois cada grupo traz novas experiências.

MEUS SENHORES VENHAM VIVER ESTA EXPERIÊNCIA, comigo e tragam um convidado (inscrição free) que não me conheça;

Inscreva se e aos seus amigos divulgue!
Sukardosh. Psicoterapeuta, coach.
40 anos de experiência em clínica, com atuação em diagnóstico e conflitos corporativos como Caixa Econômica Federal, Votorantim, Embratel, Brennand cimentos, Startup Campinas, FACIAP, Uakari SP, Instituto Monitor, CASA, UNIMED, entre outras; Especialista Coach em comunicação e liderança e cursos de autoconhecimento através do corpo.

Curso 200,00 para dois amigos.
Inscreva se WhatsApp 4199602 9986

As mulheres que se perderam de si mesmas.

Eu tenho tido a oportunidade de observar, ouvir e atender mulheres que não conseguem conciliar o tempo de função materna e suas outras funções, como dona de casa, esposa e profissional.
Vejo que a dificuldade, que será a solução e aí reside e é causa do conflito é o total esquecimento da responsável por todas estas funções, o EU, A MULHER, ELA MESMA, caída no esquecimento é quem se desorganiza ao ser esquecida por si mesma!
Condenável? Não, compreensível! Principalmente no primeiro filho, há uma grande mudança hormonal desconhecida anteriormente. Também uma mudança geral de casal transformando-se em família, gerenciamento de três ou mais e antes dois. De namoro leve e alegre, muitas vezes o bloqueio deste em prol de uma peso de responsabilidade que é imaginaria, pois responsabilidade DEVE ser leve! A perda da mobilidade fácil, o ganho de peso, e seu corpo em muita transformação. Se não apreciada, desejada e compreendida é muito acompanhada e sentindo-se segura, fica triste e pesado. Há mulheres que passam estafaste sozinhas, com seu parceiro que abandona, ou muitos presentes/ ausentes, omissos ou relapsos ou insensíveis a estas nuances do momento. Solidão a dois, maior do que solidão de fato, com ausência física e afetiva do outro. Abandonada com a presença do outro que gera um abandono de si mesma.
Mas mesmo com a experiência de outra ou outras gestações, e já com filhos nascidos, a organização faltando, permanece. Sim, também compreensível. Parece que algumas têm este Don e outras são loucamente ou simplesmente desorganizadas.
Muitas fazem mas permanece organizado por breves momentos, não sabem conservar a organização.
Homens já me procuraram para pedir socorro, porque suas casas são insuportavelmente caóticas. Porque suas mulheres não conseguem realizar organização, ordem e até mesmo falta de higiene, e cabe a eles estas tarefas e nao
E quando há produz no homem admiração e não a divisão delas. Sim, porque devem ser DIVIDIDAS, com COLABORAÇÃO MÚTUA.
Qual a causa deste CAOS?
A falta de mãe ou de alguém que tenha feito função materna para os filhos. Organização depende de que alguém lidere estas funções, o que significa que permitem que o outro aprenda fazendo e aperfeiçoando, não superprotegendo fazendo pelo outro, ou desqualificando como se não tivesse competência, ou simplesmente não dando atenção e importância a este fator para o futuro deste filho.
Uma criança que não integre na medida de seu desenvolvimento tarefas de escola, brincar e sua higiene e ordem com suas coisas originam adultos desorganizado e conflitados com as funções múltiplas simples e naturais do dia a dia.
O mesmo se aplica à organização família ou empresarial. Um LÍDER familiar ou empreendedor é organizado e ordeiro na vida PESSOAL com suas coisas e com sua EMPRESA, SUA VIDA PROFISSIONAL.

Para que leitura corporal?

A técnica da Leitura Corporal

 

A chamada Leitura Corporal é uma técnica que descreve e detalha a função emocional de cada segmento da estrutura corporal e revela as associações entre sentimento e emoção que se manifesta no corpo humano. Segundo uma pesquisa, feita no século anterior, pelo psicanalista Wilhelm Reich*, o passado intrauterino, parto e infância até os cinco anos de idade, determina importantes sintomas em nossa vida atual.

 

Segundo a psicóloga especialista em psicologia clínica há mais de 35 anos e psicoterapeuta de família, Soely Bacila Kardosh, nossas relações amorosas conforme o parto e gestação, dificuldades na visão como miopia desde infância com eventos intra uterinos, comportamentos de dependências com fase de amamentação, e características físicas como ombros largos e quadril estreito tem relação com pai e mãe, problemas de coluna com mãe e nas pernas com pai.

 

“Tudo que me incomoda, atrapalhando prazer e felicidade tem sua origem na infância e está registrado  no corpo. Mas ninguém ensina a ler o próprio corpo. Portanto não sabemos resolver tais situações”, conta Soely.

 

Desta forma aparecem sintomas de repetição como dores de garganta, de cabeça, gastrites, azia, prisão de ventre e sintomas de comportamento como compulsões, inibições, bloqueios da fala, de orgasmo, sexuais, e entre outros.

 

Com origem do intrauterino, algumas características podem ser presenciadas no futuro de um indivíduo devido a atitudes inadequadas dos pais durante essa fase, tais como dificuldades no trabalho, na sexualidade, no social e no afetivo, na saúde do corpo e no psicológico. Cada momento da vida da criança com dor vai originar sintomas diferentes no adulto.

 

“A pessoa precisa saber como ele funciona no psicológico e no físico, ler seu corpo, deixar o ‘analfabetismo’, a ignorância a respeito de si mesmo e gerenciar se com elementos e ferramentas de eficácia”, revela a psicóloga.

 

Serviço – Para quem se interessar  a entender melhor sobre o assunto acontece em Curitiba um workshop nos dias 19 e 20 de fevereiro, ministrado por Soely Kardosh. O objetivo da oficina é oferecer autoconhecimento, melhor condução dos filhos, evitar problemas de saúde e de relacionamento consigo e com os outros. Mais informações no telefone (041) 9997-1492

 

“É a oportunidade para entender e resolver problemas como dores de garganta, de cabeça e prisão de ventre crônicos; tratar compulsões, inibições, bloqueios de fala, bloqueios sexuais e outros”, disse a psicoterapeuta.

 

Fonte: Soely Kardosh

É a criança interna clamando por justiça

Durante a vivencia de uma técnica psicoterápica de grupo experimentamos a empatia e testemunhamos o brotar de palavras, memórias e sentimentos de uma pessoa que protagonizava naquele momento.

E alguém então pergunta depois: “como que sai tanta informação e conteúdo reveladores de dentro?”.

E eu respondo comovida: “‘e a criança interna clamando por justiça.”

Aquela criança quer realmente ser ouvida, compreendida, acolhida, amparada, cuidada, socorrida. O adulto em que ela habita e’ a sua continuidade e sofre ainda as conseqüências de uma infância de abandono, sofrida, abusada ou violentada, moral, intelectual, sexual e/ou fisicamente. Sim, por que apenas uma das formas de abuso e’ a sexual.

Não ‘e um ser bipolar, mas viveu numa família que produzia um “ambiente bipolar”, quer dizer, instável, lábil, ambivalente emocionalmente.

Trata – se de um transtorno mental em que o humor assume autonomia, deixando de responder adequadamente ao que seria esperado, com variações diversas como euforia, agitação, aumento de energia, agressividade, ansiedade, explosividade, aumento de riscos e gastos, impulsividade e distração, entre outros sintomas do pólo positivo ou “para cima”, que se alternam ou se mesclam com apatia, desânimo, tristeza, ansiedade e falta de prazer do pólo negativo ou depressivo.

 

 

 

Motivação

A motivação pode ser definida como:

  1. O que leva uma pessoa a agir de determinada forma.
  2. O que dá origem a uma propensão a um comportamento específico. Quais são os meus motivos? Eu paro para me observar, me escutar, para conhecer – me e conhecer principalmente os meus motivos? Mas trabalho é uma ação contínua. E o que me motiva? O reconhecimento, o aplauso, o elogio da liderança, o aumento de salário, a promoção, o incentivo dos colegas, a união do time e todos os estímulos externos, como premiações e incentivos. Presentes como objetos, cursos ou de momentos de lazer promovidos pela empresa, são também motivadores.É a hora da escolha, a vida é feita de escolhas. Pois bem, ou eu trabalho desmotivado, em uma penosa e desprazeirosa tarefa, por obrigação apenas, ou encontro motivação. Se não existe fora de mim, posso utilizar a automotivação. Como reconhecê-la dentro de mim? Para usá-la, primeiro é preciso pensar nos meus motivos. Objetivos e metas que estabeleço para mim, dentro ou fora da empresa, no trabalho ou na vida, reconhecer meus desejos e necessidades, saber quais são e quanto preciso de tempo, dinheiro e condições para a ação ser realizada com satisfação e contentamento, ou seja real ação, realização. A finalização com sucesso é automotivadora por si só, portanto devo avaliar se meu projeto tem viabilidade, e quais os passos a curto, médio e longo prazo. Na sequencia, contabilizar e comemorar cada passo concretizado, sempre vendo o que já foi feito, valorizando e não se queixando do que ainda deve ou falta fazer.Enfim gostar do que faz é automotivador por excelência, e a expectativa de sua finalização com a imagem futura de prazer e satisfação é estimulante. Afinal quer mais excelente combustível que o entusiasmo?
  3. Comemorar, confraternizar e congratular-se consigo mesmo, por que não? Às vezes o projeto é secreto, e todos deveriam ser até estarem finalizados, não podendo ser divulgados antes do término. Por exemplo: algo original a ser implantado na empresa, ou um livro a ser escrito, ou uma conquista amorosa. Então o velho “o segredo é a alma do negócio” pode ser atualizado e aclamado como “todo projeto tem alma e isto é secreto até surpreender a todos com sua culminação”.
  4. Mas, se eu trabalho só ou a liderança se ausenta por motivos das funções próprias do cargo, ou o ambiente e a política da empresa não têm esta cultura do incentivo motivacional, onde eu encontro motivação? A causa ou origem de alguma coisa, razão que nos leva a fazer algo ou justifica o nosso comportamento.
  5. O que me faz trabalhar? Que motivo me move a trabalhar? As pessoas dizem que tem que trabalhar, mas na verdade o motivo é a qualidade de vida e a sobrevivência, porque não queremos ter nossas necessidades atendidas.
  6. Diante de determinadas circunstâncias, ou, sob determinados estímulos, o indivíduo fica propenso a tomar atitudes, agindo ou deixando de agir. Servir de motivo, causar ou despertar interesse, estimular. Ação que é causada por um motivo.

 

 

Agrade você mesma

Uma mulher interessante, inteligente e competente me faz sentir respeitada, me reconheço nela e me faz sentir pertencente a uma equipe, a um time. Ah! parceria, oh! Cumplicidade!

Ouvi de uma mulher esta semana “agrade a você mesma”, assim como há uns meses ouvi “dê o com —sentimento a você para a sua cura”.

Agrade a si mesma é o mesmo plano de ação de dar – se o consentimento.

Com afeto por si mesma permitir-se, ousar, ser leal com seu querer e seus próprio desejos. E como?

Esta mesma mulher ensina; agrade se a si mesma, isto é, dê a você horários VIP durante a semana, não aqueles de terapia, medico, manicure, ou qualquer compromisso ou encontro, mas algo que você tenha vontade de fazer na hora ou naquele dia, ou no próximo horário VIP.

Não é o máximo? Não é uma delicia? Pensem meninos e meninas… É orgástico de tão prazeroso.

O processo gostoso começa ao dar se o direito de agradar – se, quem não quer um agrado?

Depois, o agendamento ou escolha do horário e data, em seguida o que se quer, a espera e preparativos, escolha de roupa e outros, companhia ou individual e execução da atividade de prazer.

E logo então, sonhar com o próximo. E a grande vantagem: NÃO SÃO ROTINEIRAS, AS POSSIBILIDADES SÃO INFINITAS.

Sei que você não vai resistir como eu, então, até a estréia de seu horário VIP.