Solidão bem ou mal?

Solidão existe!
E diz Cazuza, é pretensão de quem fica escondido fazendo fita.
E solidão a dois é insuportável! É preferível ficar sozinho mesmo! Tenho alternativa de escolha, buscar alguém.
As vezes temos distância do companheiro de vida no casamento, namoro, ou sócio.
Distância que não se percebe às vezes. Talvez por medo de ver o lugar onde se encontra. A ilusão de não ser só!
Os sintomas são dificuldade e falta de vontade de estar junto, conversar ou ir para casa.
Desânimo, silêncio, sono demais, TV/ celular/computador mais importantes do que conviver. Distância no sofá, silêncio no carro, sem programas sociais, lazer ou românticos e falta ou sexo esporádico.
Não ter assunto. Fazer tudo sozinhos e nada juntos.
E tristeza, sem entusiasmo e energia! Vive isto?
Você pode mudar, não aceite esta vida de segunda mão, precária. Nem sempre isto é sinal de que a solução é a separação. Pode ser apenas necessidade de recontratar ou comunicação eficaz e afetiva. #sukardosh

Anúncios

Por que o medo da morte?

Será que se deve a ser desconhecido? Uma experiência inédita ou original em minha vida?
As pessoas não ficam iguais após uma experiência, uma viagem que seja.
A experiência de morte ou pós morte é descrita como uma grande experiência modificadora.
Diz Cazuza: eu vi a cara da morte e ela estava viva!
Será que imaginam que tem dor na morte? Ou isto está presente apenas na agonia? A agonia é algo torturante que faz com que o agonizante peça por sua morte, pelo alívio.
E dizemos: enfim descansou.
Mas o que tem no depois?
O castigo talvez!
Quando pequena no Colégio havia nos banheiros uma placa com um triângulo com um imenso olho esbugalhado com a frase: Deus me vê!
Sei hoje que era para reprimir atos individuais ou coletivos naquele lugar que era frequentado por meninas.
Resultado inibição em estar junto com qualquer pessoa nos banheiros. Pode ser lugar de atos que serão castigados depois.
Então será um futuro de terror.
Num tribunal divino, após eu morrer, uma vida de expiação e dor eterna, infindável. Dor sem morte de alívio, porque já morri, não posso mais desistir e desapegar, tenho que eternamente pagar um castigo imposto por um Pai, símbolo de carrascos.
Desde quando que Pai é isto? O meu era/ é ainda dentro de mim segurança, era confiança e amor! E o meu Pai divino é ausência de dor. É força na minha dor, amparo na superação de qualquer adversidade.
Então medo do desconhecido, do futuro, da morte, é medo do tribunal daquele juiz cruel e frio que vou conhecer só se morrer e que estará esfregando as mãos de prazer porque enfim eu morri e estarei à mercê de sua crueldade.
Pronto! Fui condenada. Ao medo, ao terror,ao pânico.
Adeus felicidade, pois não sei quando é como será minha morte, e então sofra até lá, você que erra, você que comete crimes a vida inteira.
Crimes: ter prazer, segurança, direito de ser quem você realmente é e escolheu ser, quem é curioso e tem sede de conhecimento, quem é “feiticeira” a ser queimada porque tem conhecimentos e é livre para viver sua sexualidade, ama a verdade, enfim será condenado por existir.
E cadê a mãe para me proteger nesta hora da crueldade do pai? Ausente, abandonantes, cúmplice?

Desabafo com dor

Não sou muito boa de cálculo, apesar de ser filha de Souhail Costandi Kardosh que treinou meu cérebro para os números e suas lidas.
Mas talvez alguém possa me ajudar!
90 bilhões podem pagar pensão a quantos aposentados?
Quantos lares para aposentados como a CASA DOS ARTISTAS como o liderado por Nercesian?
Quanto respeito aos avós pela própria família?
Quantas creches e escolas?
Quantas rodovias e ferrovias?
Quantos exilados e refugiados e flagelados podem receber ajuda?
Quantos hospitais, clínicas e postos de saúde e distribuição de medicamentos?
Quanto investimento em SAÚDE, não em doença, e VIDAS salvas?
Quantos orfanatos humanizados?
Quantos partos humanizados sem custo?
Quantos salários dignos para professores? Quantos beneficiados por EDUCAÇÃO de alta performance?
Quantas casas dignas como as que Luciano Hulk proporciona?
Quanto alimento fornecido pros “meninos que tem fome”?
Quanta segurança para os PEDROS PEDREIROS?
Quanto da NATUREZA PRESERVADA? Quanta sustentabilidade e nada de poluição? Quantas florestas e rios salvos? Quanto oceano limpo?
E incentivo aos esportes? Às startups?
As famílias?
A atitudes anti banditismo, violência, tráfico, abusos?
Quanta ALEGRIA PRAZER FELICIDADE
QUANTO FIB – FELICIDADE INTERNA BRUTA como no Butao?
E formação moral ÉTICA advinda dos valores de família?
AFFFFFEEEEEEE SOBROU DINHEIRO!
E eu nem sou boa em calculos!
E IMAGINE O RETORNO DISTO EM RECURSOS?
SE EU GOVERNASSE UM PAÍS ASSIM SERIA RELEMBRADA PARA SEMPRE DO MODO CERTO, DA FORMA CERTA, COM OS MOTIVOS CERTÍSSIMOS.
Aliás, como é o projeto de Deus para o ser humano: FELICIDADE!
E BRASILEIROS COM GARRA A FAVOR DOS ÚNICOS IRMÃOS QUE TEMOS: OS BRASILEIROS.

faz me rir…

 

Dic. OMISSÃO, o ato ou efeito de não mencionar (algo ou alguém), de deixar de dizer, escrever ou fazer (algo); ato ou efeito de deixar de lado, desprezar ou esquecer; preterição, esquecimento; ato ou efeito de não fazer o que moral ou juridicamente se deveria fazer, e de que resulta, ou pode resultar, prejuízo para terceiros ou para a sociedade; falta de ação; inércia, passividade; falta de cuidado, de atenção; descuido, negligência; que foi omitido; lacuna, falta, lapso.

Dic. INTROMETIMENTO, Manifestação ardente da curiosidade em saber o que pensam, dizem ou fazem os demais, e é particularmente afeito a exercer gratuitamente o papel de mexeriqueiro, crendo agradar ou agir bem.
É lamentável ter que observar a falta de tino e de tato que pessoas desse tipo de deficiência manifestam, ao se envolverem repetidamente em assuntos que não lhes dizem respeito?

Então não se intrometer tem uma absurda ou sutil diferença com omitir se.
Não prefiro nenhum dos dois, mas a omissão fere a moral, “deixar como está para ver como é que fica” é muita covardia, passividade e comodismo, e falta de ação e’ coisa de cadáver, falta de A TI VIDA DE, e’ coisa de morto que não quer pensar, posicionar, modificar, sair do buraco onde enfiou os próprios pés. O que tem neste buraco? Não importa! O que realmente importa é dar um passo, o primeiro, que significa pelo menos 50% de alteração para melhor. E ficar chorando e queixando negativamente porque está no buraco e’ de novo muita omissão. E pior!!! Com a desculpa de não querer incomodar, de não ser intrometido, de não assumir NADA, afinal é fácil, muito cômodo, muita zona de conforto de covardia hipocritamente disfarçada de bondade e adequação e de dar ao outro a primazia honrosa de ser abandonado por omissão com a justificativa de não querer incomodar. Faz me rir!!!

10 anos

NEWS LETTER 15/10/15

Hoje fazem 10 anos que sofri quatro paradas cardíacas na mesma madrugada.
Minha gratidão a Deus de poder com 63 anos e meio, comemorar 10 anos de vida nova e feliz.
Muitas coisas lindas teria perdido se tivesse ido e ficado. Eu fui! Mas voltei pra completar o que deve ser completado e passei momentos desde difíceis até horríveis. Contra minha vontade, é claro, mas tenho convicção de que tinha muito a aprender.
Grata a todos os meus amigos e amores companheiros desta estrada e desta viagem linda.
Interessante, agradecida Miele por marcar esta data com sua vida! 😔😢🎤

re cord ações felizes

 

Hoje eu estava assistindo o Caldeirão do Huck
Curitiba, calor de matar curitibano, nada melhor que ar condicionado do flat onde moro.
E ele tem um quadro onde reconstrói FIELMENTE um cenário do passado de alguém e hoje era a emocionada Juliana Paes, atriz brasileira.
A emoção dela me contagiou e refleti: RE CORD AÇÃO, COLOCAR DE NOVO NO CORAÇÃO,
Deliciosa e revigorante atividade! Se…
Se as recordações forem boas, felizes…
Eu tenho…lindas!
E as péssimas, dolorosas, hediondas????? NUNCA no coração.
Na mente, para inteligentemente usar e aprender a não se molestar ou usar para se defender dos molestadores, abusadores, invasivos, controladores, injustos, os do mal…
E as surpresas decepcionantes com pessoas de alta estima, filhos, netos, genros, amigos, noras, namorados, maridos, namoradas e esposas, pessoas em quem depositamos confiança e nunca esperávamos ser feridos tão dolosa e profundamente por eles no presente?
Quanta decepção, desilusão e desconcerto.
Não esquecendo dos seres que escolhemos política e democraticamente através da escolha por voto para nós representar e defender? Quanta traição!
O que fazer com a dor sem o corpo adoecer, sem produzir dor? Sem ter que chamar ambulância de emergência, ser internada num hospital, tomar injeções, antibióticos çom efeitos colaterais, etc..
É interessante percebo nestas observações e conclusões de 64 anos de vida que os do mal ESCOLHEM os idosos (eu sou idosa) e as crianças, isto é, os frágeis e indefesos.
Que covardia! Devíamos avisar a polícia para os abandonantes também.
Nada justifica tamanha crueldade.
Tem machucado muito meu eu e penso que tem algo que experimento, que aprendi com o grande humanista Carlos Bernardo Gonzalez Pecotche, e reforçado pela experiência de Andrea Sasse e pelo meu amigo que sempre me ajuda como Coach Dr Marlus Marconcin que a CURA acontece com RECORDAÇÕES FELIZES.
Então, RE CORD AÇÃO, COLOCAR DE NOVO NO CORAÇÃO,
By Sukardosh
20/09/2015

Veja mais artigos em
https://sukardosh.wordpress.com/

Ver mais

Suely Bacila Kardosh adicionou 3 novas fotos ao álbum: IMPORTANTE.

precisar não significa depender

Meu pai estimulou em toda minha vida a autonomia absoluta em mim. Também não me ensinou a pedir. Isto fez minha vida difícil, pois confundi autonomia com prepotência, amor próprio, arrogância e mais alguns nada virtuosos atributos.
Aos poucos fui evoluindo, pois na arte da docência e da psicoterapia é meu dever estar sempre melhorando e evoluindo e mudando e aperfeiçoando, enfim ME trabalhando e exaustivamente.
Então nesta luta comigo mesma, fui precisando sem saber admitir que precisava. E me vi forçada a exercitar a humildade de pedir ao adoecer gravemente e depois em perder parte do pé e ficar dependente por algum tempo.
Não é preciso passar por isto para aprender, eu garanto, pode ser mais fácil
Vi então o Papa Francisco dizendo coisas ultimamente que me fez lembrar o meu fascínio por palavras e seus reais significados, quando disse que RECLUSÃO NÃO É O MESMO QUE EXCLUSÃO.
Então me vi excluindo a mim mesma dos meus direitos de ser humana, reclusa em mim mesma como qualquer encarcerada devido à condenação como criminosa. Eu. Logo eu que tenho sempre nos meus lábios o conselho de mulher atenta aos muitos preconceitos já vividos: PRESERVE SUA INOCÊNCIA!
Preconceitos como inteligente, criativa, forte, frágil, gorda, baixinha, mulher, inovadora, pioneira, avançada para seu tempo, independente, verdadeira, espontânea, alegre, animada, separada/desquitada/divorciada, apreciadora de sexo, afetiva, dedicada ao prazer, velha namorando homens mais jovens e mais… Sim EU SOU TUDO ISTO, MAS ONDE ESTÁ O CRIME? Eu adoro todos estes virtuosos atributos de meu eu.

E lá vem o Papa Francisco de novo dizendo e eu recordei, que é não evoluir, http://www.bahianoticias.com.br/noticia/170697-papa-francisco-diz-que-eliminar-diferencas-entre-sexos-e-um-passo-atras que eliminar diferenças entre sexos ‘é um passo atrás’.
E para quem me conhece um pouco eu citando um Papa trés vezes é algo fora do meu comum, mas o Francisco é um homem apesar de ser papa e fico com sua inteligência e conhecimento, nada a receber de sua santidade. E receber, e por isto estou aqui citando Francisco, nas diferenças entre homens e mulheres, convexos e côncavas, as que recebem as que podem e devem pedir para receber, atributo de quem tem um espaço interno real, nos as mulheres, côncavas, receptivas, recipientes de outros seres, úteros receptivos e gestoras da criação do feminino e masculino numa só obra, um novo, um ser.
Abomino depender, mas aprendi as delicias do pedir… E receber, mesmo que seja um não. Este não talvez fosse prepotentemente o motivo pelo qual não pedia, por que o NÃO poder ir e vir, tinha 50% de chance de vir, e o meu orgulho prepotente não me permitia receber. Ficava então sem receber sim para não arriscar receber não. Muito caro e pouco inteligente o preço a pagar, por que o Não eu já tenho desde sempre, ir em busca do sim é que é a grande aventura, desafio vibrante e estímulo de vida, movimento, por que cadáver não se move, mas EU ESTOU VIVA e mais, eu SOU VIDA!
E fala contra, Francisco novamente, sobre a humildade, a mansidão e a unidade, talvez uma Humanidade, UNIDADE HUMANA, que eu desejo ardentemente par um mundo melhor para minha neta, com pessoas melhores para crescerem juntos para uma cultura mais elevada, mais civilizada, um futuro que seja sinônimo de PAZ, ciência da paz, paciência!